Terno de Pífanos Jaraguá Mulungu / Caetano da Ingazeira e Barra Mansa_Palco Sebastiao 1
Canal Youtube: Tv cocodenoisedomundo IV Festival Coco de Nóis & do Mundo realizado em setembro de 2016 na Fundição Progresso / RJ_"Este projeto integra a Mostra Funarte de Festivais de Música nas Olimpíadas" Classificado com melhor nota do Brasil. BENEDITO PEDRO DA SILVA CONHECIDO POPULARMENTE POR “CAETANO DA INGAZEIRA” REPENTISTA, EMBOLADOR E COQUISTA POPULAR NASCIDO NO ENGENHO QUANDO DE TIMBAÚBA/PE. COMEÇOU CANTAR EM 1991 PROFISSIONALMENTE CANTOU COM ZIZI GAVIÃO, CAJU, CURIÓ, CACHIBINHO E OUTROS CANTADORES, CANTA COM BARRA MANSA HÁ 25 ANOS TENHO 08 CDS E VÁRIOS DVDS. PARTICIPOU EM MUITOS FERSTIVAIS NO NORDESTE COM OS MELHORES VIOLEIROS ATUALMENTE MORANDO EM ALIANÇA/PE. MÁRIO JOSÉ DA SILVA, EMBOLADOR DE COCO, CONHECIDO POR “BARRA MANSA”, NASCEU NO ENGENHO NOVA CINTA EM TIMBAÚBA/PE, COM 12 ANOS FOI MORAR NA CASA DO SEU TIO, CONHECIDO POR “ZÉ DAS PIPOQUEIRAS”, NO ALTO SANTA ISABEL EM RECIFE/PE. COMEÇOU A VENDER PIPOCAS TAMBÉM. DURANTE AS VENDAGENS CONHECEU OUTRO EMBOLADOR CHAMADO DE “CAFURINGA” SEU PRIMEIRO PARCEIRO DE TRABALHO E TAMBÉM VENDEDOR DE PIPOCAS. CANTANDO NOS ÔNIBUS, NA PRAÇA DO DIÁRIO E MERCADO SÃO JOSÉ EM RECIFE, CONHECEU A DUPLA CAJU E CASTANHA E FIZERAM AMIZADES, E DAI SURGIU A SUA CARREIRA ARTÍSTICA. VIAJOU POR 14 ESTADOS DO BRASIL E CONTOU COM VÁRIOS EMBOLADORES COMO: CAFURINGA, PENA BRANCA, TREME TERRA, PASSARINHO, AZULÃO, VOZ DE OURO (AL), CABOCLINHO DE SANTANA (AL), SANÃ (AL) E OUTROS DE ALAGOAS, CAXIMBINHO (PB), GERALDO MOSINHO (PB), OLIVEIRA E BEIJA FLOR (RECIFE/PE). VOLTOU NA DÉCADA DE 80 E JUNTO COM CAETANO DA INGAZEIRA QUE ATÉ HJ É O SEU PARCEIRO * Coletivo Musical que enfatiza a música tradicional das Bandas de Pífanos tradicionais do Sertão do Moxotó Pernambucano “Arcoverde/PE” e Nordeste Brasileiro. O repertório é composto por composições autorais e musicas da cultura tradicional nordestina das Novenas e trezenas de São Sebastião e outros santos da devoção popular. A Música do Jaraguá Mulungu Terno de Pífanos mantém a tradição viva dos ternos de pífanos com seu repertório tradicional. No Brasil, o pífano tradicional é um instrumento cilíndrico com sete orifícios circulares, sendo um destinado ao sopro e os restantes aos dedos. No geral, é um instrumento muito similar ao pífano de outras regiões do mundo. Pode ser construído com materiais diversos como: bambu, taboca, taquara, osso, caule de mamoneira ou, ainda, como é mais explorado hoje em dia, com cano de PVC, uma alternativa para a escassez de matéria-prima natural. É encontrado em três tamanhos: 65cm a 70cm, chamado “régua-inteiro”, 50cm, chamado “três-quartos”, e 40cm, chamado “régua-pequena”. O som varia de acordo com o comprimento do pífano. O pífano é um instrumento tradicional do nordeste do Brasil. Seus tocadores, na maioria, são pessoas sem erudição que transmitem a cultura do pífano pela tradição oral – tanto a confecção quanto o repertório, que em geral dispensa partitura, sendo tocado de ouvido. No Nordeste, ainda se encontram as tradicionais “bandas de pífanos”, “bandas de pife cabaçal”, “esquenta-mulher” ou “terno de zabumba”, sendo compostos por dois pífanos carros-chefe, acompanhados em geral por um Surdo, um Tarol, Zabumba e Pratos, além de outros pífanos. ORIGEM: Desde o ano de 1999 quando foi criado e coordenado por Cacau Arcoverde. Com 16 anos de trajetória o coletivo musical vem divulgando a Musica Popular Brasileira pelo o Brasil e no mundo. Homenageando os mestres e brincantes da nossa Cultura Popular. Resultando numa sonoridade forte e especial mostrando sua diversidade artística cultural considerada música do mundo. Influências de vários Mestres da Musica Popular Brasileira: Maestrina Zabé da Loca, Mestre Vitalino de Caruaru, Padrinho Batista, João do Pife, Mestre Lula Calixto, Banda de Pífanos Santa Luzia, Banda de Pífanos de Caruaru, Banda Cabaçal dos Irmãos Aniceto. Formação: Pífanos, Percussões (Zabumba, Pratos, Surdo e Tarol).
COMENTÁRIOS